Follow:
Nômades Digitais

5 coisas que você precisa saber antes virar um Nômade Digital

1

Todos sabem que eu troquei a minha vida corporativa onde trabalhava 9 horas por dia e 5 dias por semana – e o faria novamente se preciso – por um trabalho remoto que me possibilita viajar o mundo como um Nômade Digital, mas por favor, não me entendam errado. Não tenho nada contra as pessoas que seguem o estilo de vida considerado “normal” e tão pouco estou querendo que elas mudem de visão sobre isso, estou tentando apenas mostrar para todos como é possível  ter um estilo de vida alternativo.

Cada um sabe onde está sua felicidade. Quem sou eu para tentar mudar a felicidade de alguém? Só que para mim, infelizmente, isso não era o que eu queria para minha vida.

Com 27 anos de idade sai do meu trabalho para fazer aquilo que sempre amei: Viajar o mundo como nômade digital  trabalhando remotamente.




Neste mês (Dezembro/16) estou completando 28 anos de idade e posso dizer que este último ano viajando tem sido a realização de um sonho. Mesmo quando estamos em casa – Maíra e eu ainda temos casa em Porto Alegre/Brasil porque ela está terminando o curso de Psicologia – só pelo fato de podermos fazer nossos horários e nos dar ao luxo de fazer o que quisermos durante a semana já é bastante recompensador. Sou muito grato por estes meses que se passaram! Nesse tempo consegui:

  • Dedicar mais tempo para mim e para minha família
  • Trabalhar com propósitos claros sem gastar tempo desnecessário na frente de um computador
  • Ler mais livros
  • Viajar por mais de 1 mês sem que meu telefone tocasse (não é de todo verdade, minha mãe sempre me liga para dar boa noite HAHA)
  • Conhecer mais de 10 novas cidades
  • Não ter dia para ir nem dia para voltar

Posso dizer que todo o processo envolveu muitas lágrimas, medos e desafios, mas verdade seja dita: é bastante excitante para as pessoas que almejam o mesmo que eu criar este estilo de vida. Mas! Antes que você largue tudo, eu tenho 5 dicas e atalhos que talvez possam te ajudar a perceber futuros problemas que possam ocorrer e assim você poderá tomar O Grande Passo com um pouco mais de segurança.

Se quiser ler um pouco mais sobre a mentalidade envolvida na vida nômade acesse Nômades Digitais – O Início

#1 – Talvez a vida de Nômade Digital não te faça feliz

2

Acredito que chegou a hora de você ser sincero consigo mesmo. É claro que você pode experimentar este estilo de vida e não gostar, ou chegar em um momento que irá desistir e criar raízes em um lugar, mas até lá, pergunte-se “viajar é exatamente o que eu preciso? É isso que irá me fazer feliz? Eu não estou fazendo isso por aparências?

Não saia do seu trabalho só porque você está de saco cheio do seu chefe – ou saia, mas saiba que talvez viajar não é o que vai te fazer feliz, talvez você precise só de um trabalho novo – muitas pessoas acreditam que viajar vai lhes fazer feliz, talvez sim, mas você não deve encarar isso como uma fuga porque isso só lhe frustaria mais ainda a longo prazo. Encaro o nomadismo digital como autoconhecimento e busca por conhecimento e não como um momento de fuga dos problemas (assim como seriam as férias).

Antes de você tomar a decisão de virar um nômade digital, talvez você devesse experimentar outras visões de mundo, como:

    • Faça pequenas viagens

      • Comece com pequenas viagens perto da sua cidade. As primeiras duas ou três provavelmente vão ser muito legais, mas talvez você comece a enjoar e perceba que só estava cansado do seu trabalho e precisava recarregar as energias. Em uma época diferente da minha vida trabalhei em uma empresa onde eu tinha que viajar algumas vezes por mês e sempre de avião – e como todos sabem, odeio viajar de avião – mesmo com o medo, as primeiras vezes foram incríveis, afinal, eu estava sendo pago para viajar pelo Brasil. Porém, depois que começou a virar frequente, aquilo foi se tornando um problema na minha vida. Apesar de este ter sido o início da minha paixão por viajar como Nômade Digital, foi preciso muitos anos de trabalho mental, não em relação a viajar, mas em relação as expectativas que eu tinha sobre as viagens. Naquela época, eu achava que viajar era fugir de problemas, enquanto hoje acredito que viajar é encontrar-se.




  • Tente outros trabalhos

    • Novas experiências farão com que você não só veja o mundo por outra perspectiva, mas como pode trazer novas satisfações para sua vida. Se não quiser sair do seu trabalho para essa mudança, converse com profissionais de outras empresas, ou até mesmo outras áreas, se ainda assim achar que viajar é a sua praia pule para a próxima etapa. Nesse momento voltamos ao mesmo mantra: não vire um nômade digital só para fugir do seu trabalho ou dos seus problemas, vire um nômade digital porque gosta desse estilo de vida.
  • Tire férias

    • Algumas pessoas sentem a necessidade da rotina de trabalho, tal como acordar cedo, se locomover até o escritório e ficar lá trabalhando até o anoitecer. Às vezes o que elas precisam é de férias para poder descansar. Ao virar nômade digital, saiba que seus dias não terão rotina, você precisará se acostumar com isso. A rotina será não ter rotina. Até é possível criar pequenas rotinas, eu por exemplo: gosto de todo sábado sentar em um café, tomar um café expresso, beber água com gás – não pode esquecer do limão espremido –  e fumar um charuto cubano, contudo, a cafeteria nunca será a mesma.

#2 – Uma vida na estrada requer trabalho duro

3

Se você pensar no seu futuro a longo prazo talvez até consiga se aposentar. Na minha opinião, a vida não deve ser vivida apenas para o trabalho, tendo como objetivo um dia se aposentar e só então descansar e aporveitar, porque provavelmente isso não vai acontecer. Quando se aposentar você provavelmente estará muito velho, muito cansado ou o pior… muito acomodado! e provavelmente aquele seu sonho de aproveitar a vida não acontecerá.

Para você ter uma vida com o pé na estrada não é necessário ser rico, mas você precisará de trabalho duro, dedicação e sacrifícios. Se você não acredita que isso é possível recomendo um filme que retrata a história real de um jovem que viajou durante anos sem ter um tostão no bolso, Na Natureza Selvagem – em inglês Into the Wild – este filme é um dos mais admirados por nômades digitais.

Leia também 5 tipos de trabalhos que irão te permitir ser um nômade digital e como conseguí-los

Ok, ok! concordo que o Christopher McCandless – em quem foi baseado o filme e livro Into the Wild – viveu de maneira bem atípica, chegando a queimar todo o seu dinheiro e doar suas economias só para ter a experiência de não ter dinheiro algum. Viajou durante anos! Se ele conseguiu, você também consegue.

Se você quiser viver como nômade digital e não quiser abdicar de tudo como o Christopher, irá precisar correr atrás dos seus sonhos. Neste blog temos alguns posts que podem lhe ajudar a ganhar dinheiro enquanto viaja, então dedique um pouco do seu tempo para lê-los.

Como já dizia Tony Gaskin “Se você não constrói o seu sonho, alguém vai te contratar para construir o dele.”

#3 – Você precisa manter suas expectativas realistas

4

Se você acha que a vida de um nômade digital é sempre excitante e cheia de aventuras não se engane, NÃO É! Não me entenda errado, não estou falando que as aventuras sejam inventadas, mas as pessoas acabam acompanhando só as partes legais, dificilmente você verá as filas intermináveis em terminais de vôo, os incômodos com hotéis ou o stress com bancos e cartões de crédito. Então, aceite que talvez a vida dos nômades digitais seja um pouco romantizada, mas não desacredite que ela é excitante porque você nunca encontrará um dia igual o outro.

Algumas coisas que você precisa saber e talvez nenhum outro nômade digital tenha te contado:

  • Pode ser bastante solitário

    • Principalmente viajar sozinho! Se você não é o tipo de pessoa que se enturma com facilidade, pode ser mais difícil ainda! E mesmo que você seja desinibido, às vezes só quer falar sobre seus problemas para alguém e – ao menos que você tenha um psicólogo online HAHA – não será possível. Você pode até manter amizades online ou ter um familiar disposto a lhe ouvir,  mas dificilmente você passará tempo o suficiente em uma cidade para criar vínculos.
  • A vida não é só viajar

    • Tem que trabalhar também! Geralmente os nômades digitais postam apenas suas aventuras, mas nós precisamos trabalhar também. Seja em seu escritório, no quarto do hotel, em um café ou em uma lan house, precisaremos gastar algumas horas do dia trabalhando! Alguns trabalhos remotos ainda exigem que você cumpra certos horários, o que torna sua viagem um pouco menos proveitosa.
  • Você esbarrará na cultura de cada local

    • Pode ser bastante confuso esbarrar na cultura de outros lugares. As pessoas nem sempre serão receptivas e calorosas, sem contar que talvez em outros lugares você seja discriminado, seja porque você usa uma roupa diferente do habitual, por causa de como você se expressa ou até por causa das suas crenças. Sem contar que você precisa aceitar que merdas acontecem! Se “em casa” você já não pode deixar a peteca cair para resolver os problemas, estando longe você precisará do dobro de determinação para conseguir.

#4 – Pense a longo prazo

5

Não se esqueça de pensar a longo prazo! Viajar como voluntário, trabalhando por comida e estadia ou como surfista de sofá pode ser uma alternativa rápida e fácil para você iniciar suas viagens. Mas você deverá se perguntar se é isso que vai querer fazer para o resto da vida. Talvez chegue o momento que você irá cansar dessa vida de viagens ou talvez você se apaixone por uma cidade ou uma pessoa, e aí? Sei que isso pode não estar nos seus planos hoje, mas talvez quando você começar a se preocupar com o presente, devesse incluir o futuro nos seus planos.

#5 – Saiba que as coisas podem dar errado

6

Sejamos realistas, merdas acontecem! Estando longe de “casa” ou de onde nós julgamos ser um lugar seguro, as coisas tomam proporções muito maiores do que deveriam. Não existe um nômade digital que não tenha uma história engraçada ou trágica para contar.

Você pode planejar toda sua viagem, arrumar todas suas malas, ter certeza que não esqueceu de nada e mesmo assim, provavelmente alguma coisa irá acontecer. Acaba sendo inevitável!

Mudanças de planos são bem comuns no mundo dos nômades digitais, mas não importa o quanto as coisas acabarem diferentes do que você planejou, não se estresse! Seja flexível e aprenda a contornar os problemas. O mais importante é sempre ter um plano B, então caso algum problema ocorra, você saberá como agir!

Considerações Finais

Entenda que este não é um post com objetivo de que você deixe de ser um nômade digital, pelo contrário, o objetivo é que você pense bem antes de tomar uma decisão que afetará toda sua vida, que você tenha certeza das suas decisões e que esteja preparado para o que está por vir. Saiba que torço muito por cada um de vocês e ainda quero ouvir muitas histórias sobre suas viagens e experiências!

 

 

Está programando sua viagem?

Então que tal ajudar o blog enquanto usa as mesmas ferramentas e serviços que nós usamos para nossas viagens? Você não paga nada a mais e nós ganhamos uma pequena comissão pela indicação! Olha que legal:

Reserve o seu hotel, busque um sofá ou fique em um resort tudo com a garantia do melhor preço em Booking.com

Compre um seguro de viagem com um dos melhores e mais conhecidos seguros para viajantes do mundo em WorldNomads.com

Ganhe R$100 de desconto na sua primeira viagem pelo AirBnb.com

Comentários

Comentários

Previous Post Next Post

12 Comments

  • Reply Victoria de Andrade

    Meu sonho é viajar a mundo, mas não chegar ao ponto de virar nômade digital, já até pensei nisso uma vez mas mudei de ideia, acho muito foda mas acredito que eu não conseguiria. Amei as dicas, são bem úteis e sobre o filme… Estou indo ver agora hahahaha Beijos,
    Blog da Vicky

    December 7, 2016 at 11:17 pm
  • Reply Julie

    Logo de cara, quando entrei nesse blog me apaixonei pelo layout. E esse conteúdo? SEM OR, achei incrível o tema daqui e a forma que vocês abordam. Viajar é um dos meus maiores prezeres e levar este estilo de vida deve ser maravilhoso! Ok, neste vc até comentou que não é tão maravilhoso assim… Mas olhando de fora parece maravilhoso sim kkk mesmo com o lado ruim ainda parece bem atrativo.
    Vou acompanhar vcs pq realmente adorei!
    Beijos
    http://www.ouviporai.com

    December 7, 2016 at 11:42 pm
  • Reply Amanda Moresco

    Muitas vezes falar é fácil, né? “Ah, como queria passar a vida inteira viajando”, mas e se você cansar? E se você ficar sozinho? E se der errado? Realmente são muitas as variáveis.

    December 8, 2016 at 1:23 am
  • Reply Rebeca Stiago

    Oii Maira, parabens pelo blog de vcs! Eu ainda nao conhecia, acredita? Fiquei encantada. Como estou morando fora do Brasil, tenho me interessado cada dia mais sobre viagens. E sem contar que o conteudo que voces publicam aqui acaba sendo denso e suuuper informativo. Muito bom. Com certeza vou continuar acompanhando voces. Beijos

    December 8, 2016 at 3:41 am
  • Reply Aline Fernanda de Oliveira

    Adoraria viajar amei a ideia do post, um bom planejamento é tudo!

    December 8, 2016 at 7:33 pm
  • Reply liz

    ótimo post, como sempre! Manter os pés no chão é super necessário. Éclaro, podemos sonhar…mas, vamos com calma! uma coisa de cada vez, uma conquista de cada vez e muito planejamento

    December 8, 2016 at 8:00 pm
  • Reply Samira Oliveira

    Acho tão legal isso de ser nômade digital, mas acho que eu teria dificuldades em manter os pés no chão e o foco, e iria me esquecer de trabalhar e querer só passear :/

    December 8, 2016 at 9:51 pm
  • Reply isadora

    adoreei o post! eu e a minha namorada morremos de vontade de fazer isso mas sempre pensamos na parte da aposentadoria e do que fazer durante as viagens também hahaha

    December 29, 2016 at 3:56 pm
  • Reply Patricia

    Ótima reflexão.
    Nomadismo digital entrou na moda, mas não é para qualquer um mesmo. Tem que estar aberto para muita coisa, imprevistos etc. Mas não dá pra negar que é uma vida livre e eu não troco isso por nada.

    January 20, 2017 at 1:13 pm
  • Reply Taís

    Viajar pra mim também não é uma fuga, mas sim se encontrar! Acredito que esse seria um pensamento que um Nomade Digital deveria analisar antes de se jogar nessa aventura… ir pelo auto conhecimento e a experiência.. e não simplesmente pra fugir dos seus problemas no seu local de origem. Ótimo post!

    January 21, 2017 at 4:31 pm
  • Reply Paula Abud

    Ótima reflexão, dá pra colocar tudo em cheque e ver o que realmente queremos da vida, adorei!

    January 22, 2017 at 2:16 am
  • Reply Gabi

    Muito muuuito bom o post. É verdade, ser nômade digital não é pra qualquer um. E a gente tem a impressão que todo mundo daria tudo pra passar a vida viajando, mas nem sempre é o que funciona bem pra nós. Tem a questão das expectativas, como você bem colocou, das frustrações, e por vezes, até mesmo o cansaço. Eu nunca fiz nenhuma viagem loooonga, mas já sei que não me satisfaz. Eu gosto de “ter uma casa”, uma rotina, de passar a maior parte do meu tempo num esquema, e nas férias aproveitar. E é de cada um… É uma reflexão que é muito importante de ser feita antes de jogar tudo pro alto. Parabéns por não romantizar a coisa e mostrar os outros lados.

    January 22, 2017 at 12:20 pm
  • Leave a Reply